Maternidade

Dicas

1. Enxoval Maternidade

Não esqueça nada para a chegada de quem merece tudo.

Seu bebê está chegando. Por isso, é fundamental que você cuide para que não falte nada nesse dia tão especial. Verifique os itens da lista abaixo e aproveite da melhor forma o momento mais importante da sua vida.


Para a mala do bebê:


  • - 4 a 5 lençóis de berço.
  • - 4 a 5 lençóis de xixi.
  • - 4 a 5 roupinhas.
  • - 4 a 5 pares de meia.
  • - 5 pares de luvinha.
  • - 2 mantas.
  • - 1 escovinha para cabelo.

Recomendação: Prefira roupinhas de algodão e lembre-se de separá-las em kits.


Para a mala da mãe:


  • - 3 a 4 camisolas ou pijamas.
  • - 1 robe.
  • - 1 sandália de quarto.
  • - Sutiã de amamentação, de algodão.
  • - Cinta (consulte seu médico).
  • - Nécessaire reforçada com o material de higiene da gestante.
  • - Acessórios para cabelo, como presilhas com elástico, diademas, etc.
  • - 1 roupa para sair da maternidade.
2. Aleitamento materno

Vantagens para a mãe, o pai e a família


  • - Aumenta os laços afetivos.
  • - É um método natural de planejamento familiar.
  • - O aleitamento é econômico e prático. Não precisa ser comprado.
  • - Dar o peito logo que o bebê nasce, diminui o sangramento da mãe após o parto.
  • - Faz o útero voltar mais rápido ao normal.
  • - Diminui o risco de câncer de mama e ovários.

Vantagens para o bebê no aleitamento


A amamentação supre todas as necessidades dos primeiros meses da vida para o bebê crescer e se desenvolver sadio.


Saiba por que o leite materno é alimento completo:

  • - Contém vitaminas, minerais, gorduras, açúcares, proteínas, todos apropriados para o organismo do bebê.
  • - Possui muitas substâncias nutritivas e de defesa que não se encontram no leite de vaca e em nenhum outro leite.
  • - Não existe leite materno fraco.  A mãe produz todos os nutrientes necessários para o seu filho.
  • - É feito especialmente para o estômago da criança, portanto de mais fácil digestão.

Veja por que o leite materno oferece proteção contra doenças:

  • - Só ele tem substâncias que protegem o bebê contra doenças como diarreia (que pode causar desidratação, desnutrição e morte), pneumonias, infecção de ouvido, alergias e muitas outras.
  • - O bebê que mama no peito poderá evacuar toda vez que mamar ou até passar dias sem evacuar. O cocô geralmente é mole ou pastoso, mas pode ser até líquido com gruminhos. A cor também é bastante característica: amarelo-ouro.

O leite materno é limpo e pronto!

  • - Está pronto a qualquer hora, na temperatura certa para o bebê.

Dar de mamar é um ato de amor e carinho.


  • - Faz o bebê sentir-se acolhido e seguro.
  • - Bebês que mamam no peito apresentam melhor crescimento e desenvolvimento. Trabalhos científicos identificam que essas crianças são mais inteligentes;
  • - O leite materno é o alimento ideal, não sendo necessário oferecer água, chá e nenhum outro alimento até os seis meses de idade.
  • - O colostro é o primeiro leite que sai do peito e é produzido nos dias iniciais logo após o parto. É importante que o recém-nascido mame o colostro, porque ele contém tudo que o bebê necessita nos primeiros dias.
  • - É produzido em menor quantidade, que é adequada para os primeiros dias. Pode ser claro ou amarelo, grosso ou ralo.
  • - O colostro é o alimento que protege o bebê de muitas doenças, por isso é comparado a uma vacina.
  • - Depois de alguns dias, o colostro vai mudando de cor.
  • - É importante que o bebê prematuro tome o leite materno, pois contém substâncias na quantidade necessária para o desenvolvimento saudável do bebê.
  • - O bebê deve mamar logo após o nascimento e todas as vezes que quiser.
  • - O número de mamadas pode variar.
  • - No primeiro mês, geralmente as mamadas são mais frequentes.
  • - O bebê é quem escolhe o horário de mamar.
  • - O bebê é quem decide quanto tempo deve durar a mamada.
  • - Mamadas muito longas podem significar ‘’pega’’ incorreta.

Como amamentar: posicionamento e pega


Posição da mãe.

A mãe escolhe a posição para dar de mamar. Pode ser deitada, sentada ou em pé. O importante é a mãe e o bebê sentirem-se bem confortáveis.


Se a mãe ficar deitada.

  • Deve deitar-se de lado, apoiando sua cabeça e costas em travesseiros, para ficar mais à vontade.
  • A mãe também pode dar de mamar recostada na cama.
  • Com um braço, a mãe apoia o pescoço e o tronco do bebê, ajudando a aproximar o corpo do bebê ao seu corpo, e com a outra mão aproxima a boca do bebê do bico do peito para que ele possa abocanhar a maior parte da aréola.

Se a mãe der de mamar sentada.

  • - A mãe pode cruzar as pernas ou usar travesseiros sobre suas coxas, ou ainda usar embaixo dos pés um apoio para facilitar a posição do bebê, permitindo, assim, que a boca do bebê fique no mesmo plano da aréola.

Posição do bebê.

  • - O corpo do bebê deve estar inteiramente de frente para a mãe e bem próximo (barriga do bebê voltada para o corpo da mãe).
  • - O bebê deve estar alinhando a cabeça e a coluna em linha reta, no mesmo eixo.
  • - A boca deve estar de frente para o bico do peito.
  • - A mãe deve apoiar com o braço o bumbum do bebê.
  • - Aproximar a boca do bebê em frente ao peito para que ele possa abocanhar, ou seja, colocar a maior parte da aréola (área mais escura e arredondada do peito) dentro da boca, lembrando uma ‘’boquinha de peixe’’.
  • - Queixo do bebê tocando o peito da mãe.

Como amamentar


Como colocar o bebê no peito.


Ao dar de mamar, a mãe deve estar tranquila e não apressar o bebê.


  • - Quando o peito estiver muito cheio, antes de amamentar, a mãe deve fazer uma ordenha manual para amaciar a aréola. Com os dedos indicadores e polegares, ela deve espremer as regiões acima e abaixo do limite da aréola para retirar algumas gotas de leite e amaciar o bico.
  • - Encostar o bico do peito na boca do bebê para ele virar a cabeça e pegar o peito (reflexo de busca). Ele sozinho sabe como fazer isto. Levar o bebê ao peito e não o peito ao bebê.
  • - Segurar o peito com o polegar da mão acima da aréola e o indicador e a palma da mão abaixo. Até a “pega’’ adequada. Depois poderá retirar a mão da mama.
  • - O bebê, abocanhando a maior parte da aréola, suga mais leite e evita rachaduras.

Como saber se a “pega’’ está correta.

  • - Boca bem aberta.
  • - Lábios virados para fora (‘’boca de peixe’’).
  • - Queixo tocando o peito da mãe.
  • - Aréola mais visível na parte superior que na inferior.
  • - Bochecha redonda “cheia’’.
  • - A língua do bebê deve envolver o bico do peito.

Quando oferecer peito.

  • - Oferecer o peito logo após o nascimento, ainda na sala de parto, quer seja parto normal ou cesariana, porque estimula a produção e descida do leite.
  • - Oferecer o peito sempre que o bebê quiser, de dia ou de noite, ou seja, sob livre demanda.
  • - Quanto mais o bebê mamar, maior será a produção do leite materno.
  • - Oferecer um peito até o bebê soltar usufruindo todas as fases do leite.

Na próxima mamada, começar com o peito que o bebê não mamou.

  • - É importante retirar a maior quantidade possível de leite para estimular sua produção.

Como terminar a mamada.

  • - Geralmente, o bebê solta sozinho o peito.
  • - Se for preciso interromper a mamada, a mãe deve colocar a ponta do dedinho no canto da boca do bebê para que ele solte o peito sem machucar.
  • - Para o bebê arrotar, a mãe, o pai ou outro familiar dele levantá-lo e apoiar a cabeça no seu ombro, fazendo uma leve massagem nas costas. É importante a participação da família neste momento.
  • - Outra posição para arrotar é colocar o bebê sentado no colo da mãe, inclinando-o para frente com as pernas flexionadas.
  • - O peito não precisa de limpeza antes ou após as mamadas. O banho diário é suficiente.
  • - A quantidade do leite não está relacionada ao tipo de alimento que a mãe come.

Fases do Leite materno


Primeira fase: O colostro.

Nessa fase o leite materno é chamado de colostro. Este é secretado nos dois ou três primeiros dias após o parto. Tem aparência ligeiramente transparente e consistência mais líquida.
Este leite contém os mesmos nutrientes que o leite maduro, porém com mais proteínas e menos gordura, sem deixar de atender às necessidades nutricionais do bebê neste período. O colostro, um leite concentrado, nutritivo e com muitos anticorpos, é a primeira vacina do bebê.


Segunda fase: O leite de transição.

O leite chamado de leite de transição apresenta maior volume por mamada quando comparado ao colostro. Nessa fase o leite sofre alterações nutricionais graduais entre as características do colostro para o leite maduro, como a diminuição dos índices de proteína e aumento de gorduras e carboidratos.


Terceira fase: O leite maduro.

Ele tem aparência mais esbranquiçada e é mais consistente que o colostro. O leite materno contém nutrientes em proporções que acompanham a maturidade do sistema digestivo e as necessidades nutricionais do bebê para que ele possa crescer e se desenvolver. Com o passar do tempo, o peito produz um leite adequado às necessidades e à idade do bebê, mudando de aparência conforme a duração da mamada. Além disso, ao longo da mamada o leite apresenta composição e aparência diferente. No início é mais aguado e ajuda a saciar a sede do bebê. O leite do final da mamada, o chamado leite posterior, é rico em gordura e possui mais calorias e nutrientes.
Ambos os leites são fundamentais para seu filho. Desta maneira, é importante que o bebê esvazie o leite da mama a cada mamada para garantir a ingestão adequada dos nutrientes e a saciedade.


Seguindo a recomendação do Ministério da Saúde, o aleitamento exclusivo deve permanecer até o sexto mês de vida e a amamentação deve ocorrer até dois anos ou mais.


O leitinho da mamãe só apresenta benefícios: sacia a sede, alimenta, nutre, imuniza, é natural, não tem custo, ajuda no desenvolvimento facial, está sempre na temperatura ideal, é higiênico e pode ser levado a qualquer lugar, qualquer hora.


Problemas mais frequentes da amamentação.


Fissuras ou rachaduras.

  • - Fissuras ou rachaduras.

Como evitar.

  • - Manter os peitos enxutos.
  • - Evitar que os peitos fiquem muito cheios ou doloridos.
  • - Posicionar o bebê corretamente.

Como tratar as rachaduras.

  • - Amamentar não deve doer. Porém, é importante que a mãe continue a amamentar, corrigindo possíveis problemas de ‘’pega’’ e posição.

Leite empedrado ou peito ingurgitado, mastite e abscesso.

  • - Uma forma de evitar que o leite fique empedrado é colocar o bebê para mamar sob livre demanda, sempre que ele quiser.
  • - Se as mamas estiverem muito cheias, retirar o excesso e oferecer o peito com maior frequência.
  • - Se não melhorar em 24 horas, a mama ficar avermelhada e a mãe tiver febre, deve procurar o médico para evitar complicações como mastite ou abscessos.
  • - O melhor tratamento é a ordenha do peito.
  • - Ingurgitamento geralmente ocorre nos dois peitos e nas duas primeiras semanas após o parto.
  • - Mastite geralmente acomete só um peito e após duas semanas do parto. Quando não tratada adequadamente, pode evoluir para abscesso.

O leite está secando

  • - Isto pode ocorrer quando se introduz mamadeiras, chuca, bico ou chupeta. A melhor maneira de evitar que o leite seque é dar o peito logo após o nascimento e todas as vezes que o bebê quiser.
    Um dos maiores cuidados que seu bebê pode receber é uma amamentação de qualidade. Só ela combate a fome, as doenças e a desnutrição, além de promover um desenvolvimento infantil adequado e ainda fortalecer o vínculo entre mãe e filho.
    Com esse guia, aprenda melhor sobre o tema e prepare-se para colaborar com o crescimento saudável do seu bebê.

Cadastre-se e receba novidades por e-mail